domingo, 26 de maio de 2013

Demais

A forma como o Benfica perdeu os últimos jogos (com Porto, Chelsea e, hoje, Guimarães) entra no domínio do sobrenatural.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Decência em Democracia



É o meu artigo de opinião desta semana para o Local e que vai no seguimento deste texto.

domingo, 19 de maio de 2013

(Falta de) Moral

Quem vence a roubar e festeja a corrupção, não tem qualquer moral para criticar os governantes de os roubarem e os políticos de serem corruptos.

Sujinho, sujinho

A única forma de vencer que o clube da nossa Palermo conhece. O último jogo, hoje em Paços de Ferreira, é apenas mais um capítulo na História da impunidade da corrupção no futebol português.

sábado, 18 de maio de 2013

Decência

Ao longo destes anos sempre escrevi de acordo com os valores pelos quais me guio. Um deles, é a decência no tratamento a personalidades conhecidas, como políticos. Alguns confundiram a defesa que fiz, por exemplo, de Sócrates com uma suposta defesa do partido socialista ou de uma ideologia. Na altura escrevi que o que estava em causa, para mim, era o acto, o comportamento em si e não a pessoa. Hoje volto aqui para defender a decência no tratamento a figuras públicas. Não sei se é verdade ou mentira, mas o texto da capa é, no mínimo, vergonhoso. Espero que Passos Coelho, que tem sido o pior primeiro-ministro de que me recordo e de estar a destruir o país e a democracia, por mera ideologia, processe esta espécie de jornal. E se for à falência por causa da indemnização que terá de pagar melhor, porque isto pode ser muita coisa, mas jornalismo não é certamente e decente ainda menos.

terça-feira, 14 de maio de 2013

A natureza do Mal

Nos últimos dias e apenas por causa de um jogo de futebol (o Porto - Benfica do último sábado), temos várias notícias a dar conta de agressões, provocações e abusos. Nos últimos anos tem sido sempre assim, de cada vez que o Benfica se desloca aquela espécie de estádio. Bolas de golfe e isqueiros atiradas ao treinador e aos jogadores, pedras da calçada atiradas contra o autocarro do clube e uma série de agressões e ameaças, a adeptos e a jornalistas, que há muito tempo não se sentem livres para exercerem a sua actividade profissional. Só desta vez, temos dois jornalistas agredidos, dois adeptos do Porto a mostrarem a sua natureza e uma série de ameaças a pressões ilegítimas. Sempre com os mesmos, sempre por parte dos mesmos. Se o Mal existe em todo o lado (ainda ontem também outros, em França, mostraram não saber vencer), existe particularmente naquele sítio, onde o ódio prevalece. Está-lhes no sangue, no seu adn. E se as autoridades continuarem a fechar os olhos, como fecharam até agora, por conivência e conveniência, algo de muito grave irá acontecer mais cedo ou mais tarde. Aí, todos chorarão, incluindo os cúmplices do crime.

terça-feira, 7 de maio de 2013

Psicopata à solta

 
Já que o Ministério Público tarda em acusar Gaspas pelos crimes que tem cometido contra o País e contra os portugueses, pelo menos que haja alguém que devolva esta lunático à nave de onde fugiu!

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Pena de morte

Esta decisão deveria ser simples. Deveria ser, mas não é, pois há sempre (e sempre haverá) fanáticos extremistas para tudo. A decisão deveria ser simples: deveremos permitir que esta mulher morra ou não? E deveria ser simples particularmente para quem tanto clama contra a pena de morte e tanto proclama, aos sete ventos, que a vida é inviolável. Pelo menos é isto que dizem, pois o que fazem é o que vem nesta notícia, condenar uma mulher inocente à morte. O que aqui está em causa é um acto médico que salvaria a sua vida. Se fosse mesmo a vida o valor em causa, esta gente não hesitaria em apoiar o acto médico.
Bem podem alegar que a decisão não é do Homem, mas de Deus, que Ele é que decide e tal. bem, sendo assim, deveriam, desde já, condenar toda e qualquer actividade médica. Sei lá... proibir a existência de médicos. E da próxima vez que algum membro da Igreja, alguém que apoie esta posição, precisar de ir ao médico não se irrite quando o médico lhe disser que nada pode fazer, pois cabe a Deus decidir da vida e da saúde...